TEMPESTADE DESPEJOU 4 MIL RAIOS NA REGIÃO DE CAMPO GRANDE EM UMA NOITE

Entre a noite desta quarta-feira (30) e a madrugada de hoje (31) caíram na região Central de Mato Grosso do Sul, que engloba as cidades de Campo Grande, Bandeirantes, Jaraguari, Terenos, Corguinho, Dois Irmãos do Buriti, Sidrolândia, entre outras, 3.909 raios. O fenômeno conhecido como tempestade elétrica costuma ocorrer quando há uma junção de muito calor e umidade, formando uma área de instabilidade.

Conforme o meteorologista Natálio Abraão, o fenômeno ocorre mais no verão e com a entrada do outono tende a diminuir. “Esse período termina as tempestades elétricas. Julho é o mês que tem menos trovões e raios”, diz.

Entretanto, ele alerta que ainda é possível a ocorrência dos eventos. Por isso, a dica é não ficar próximo à árvore, postes, ou em pé em campos abertos, durante a ocorrência de raios. O ideal, segundo o meteorologista, é ficar dentro de casa ou eno carro quando perceber o fenômeno.

Campeão de raios

O Brasil é o país onde mais caem raios no mundo. Todos os anos, são entre 50 milhões e 60 milhões de descargas elétricas, algumas das quais atingem pessoas, causando aproximadamente 130 mortes anuais, a maior parte em áreas rurais, e prejuízos estimados em pelo menos R$ 1 bilhão. Mas é nas grandes cidades brasileiras que a incidência de raios aumentou fortemente nas últimas décadas, indica pesquisa inédita do Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Os cientistas do Inpe levantaram dados acumulados de 1910 a 2010 em 14 concentrações urbanas do país com mais de 500 mil habitantes e verificaram uma alta de 79% no número de dias com tempestades elétricas nos últimos 60 anos na comparação com a primeira metade do século XX. De acordo com o estudo, de 1910 a 1951 foram em média 43 dias com raios em cada uma das 14 cidades espalhadas por todas as regiões do Brasil, contra 77 em 2010. Fonte Jornal O Globo/Midiamax.