PRESIDENTE DE CÂMARA É ACUSADO POR SE APROPRIAR DE PARTE DE SALÁRIO DE ASSESSOR

Três Lagoas/MS – Corrupção

Denúncia realizada pelo Jornal do Povo, aponta que o presidente da Câmara de Vereadores de Três Lagoas, Jorginho do Gás, é acusado por um de seus assessores de se apropriar de parte do seu salário. A queixa, segundo a publicação, foi formalizada no Ministério Público do município desde o final do ano passado e as investigações correm em segredo de Justiça.

Caso comprovada a acusação, o vereador poderá perder seu mandado e ser condenado na área civil e criminal.

“O meu salário de R$ 3,2 mil caía na conta e na hora ele já ligava pedindo a devolução de dinheiro. Eu só ficava com R$ 1,2 mil. Devolvia na mão dele, dentro do seu escritório ou ele buscava em casa. Às vezes, [o pagamento] ocorrida dentro do carro. Na hora, ele me ligava, tá no jeito, estou indo. Era dessa forma”, revelou Antonio Siqueira, conhecido como “Tônico”, ao jornal, contando detalhes da ação.

O material foi publicado na quarta-feira e segundo o Jornal do Povo, na noite de terça-feira a equipe de reportagem esteve na Câmara para conversar com o legislador e foi informada que o vereador estava em viagem para Brasília (DF).

Pelas contas do denunciante, contabilizado a parte de seu salário e diárias a que era obrigado a devolver, durante mais de um ano, o presidente da Câmara Municipal teria apropriado em dinheiro aproximadamente R$ 50 mil, que foram depositados em sua conta-salário.

O assessor contou que no início aceitou a devolver seu salário, devido a um acordo feito durante a campanha eleitoral e que tinha promessa que tudo seria devolvido.

Em nota, o vereador alega que desconhece as acusações e nega que ocorreu qualquer tipo de apropriação do salário do assessor. Ele também afirma que não recebeu qualquer intimação por parte do Ministério Público Estadual.

Ainda conforme a nota, o parlamentar alegou que as acusações são inverídicas, e tem como objetivo atacar sua honra e imagem, pessoal e política, e da Câmara Municipal, e finaliza alegando que já acionou sua consultoria jurídica para que sejam tomadas as providências.

Verdadeiras ou não estas acusações, especificamente em relação ao Presidente da Câmara de Três Lagoas, mas o fato é que isso é recorrente em todos os setores públicos e em especial nos legislativo de todo o Brasil, pratica nefasta que o Ministério Público e o tribunal de contas fazem de conta que não vê. Fonte: Douradosnews.