PREFEITA EM EXERCÍCIO, VALÉRIA TRAVAIN, NÃO COMPARECE A SESSÃO SOLENE.

Água Clara/MS

Plenário lotado. População compareceu para ouvir prefeita Valéria que não compareceu, nem a bancada aliada.
Plenário lotado. População compareceu para ouvir prefeita Valéria que não compareceu, nem a bancada aliada.

A prefeita em exercício de Água Clara/MS, que assumiu a prefeitura por determinação do Poder Judiciário, no afastamento do titular, Silas Jose da Silva, que esta sendo acusado de pagar propina ao Vereador Marcelo Batista de Araújo, para que o mesmo votasse a favor da aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentária sem alterações.

Marcelo Carvoeiro denunciou a manobra do Prefeito e após investigação o Gaeco pediu o afastamento do prefeito até concluir as investigações.

Valéria Travain não compareceu a sessão alegando outros compromissos, comunicando a Câmara Municipal através de ofício, segundo o Presidente o ofício foi protocolado minutos antes do início da sessão, causando indignação aos vereadores presentes, que julgaram a atitude da vice-prefeita um ato de desrespeito ao Poder Legislativo.

Vereador Waldenir Ferreira Lino (Soró) e Marcelo Carvoeiro, denunciantes.
Vereador Waldenir Ferreira Lino (Soró) e Marcelo Carvoeiro, denunciantes.

“Quero dizer a todos que minha atitude em denunciar o Prefeito é um ato pensado, não coloquei e jamais colocaria minha honra em jogo, se ele acha que vai comprar minha honra com migalhas, ou qualquer outra quantia está muito enganado, meu compromisso é com o povo de Água Clara, nunca me curvarei a corruptos”, falou Marcelo Carvoeiro.

Segundo informações, do denunciante, Vereador Marcelo Batista de Araújo, que não pode entrar em detalhes, uma vez que o processo corre em segredo de justiça, as investigações continuam e muitas outras coisas surgiram.

Vereador Alfredo, Biróca e Jurema de Matos, indignados com a ausência da vice-prefeita
Vereador Alfredo, Biróca e Jurema de Matos, indignados com a ausência da vice-prefeita

O Presidente do Legislativo, vereador Valdeir Pedro de Carvalho, em suas manifestações informou que o repasse do duodécimo não seria depositado dentro do prazo legal, dia 20 de cada mês, caso isso se confirme a vice-prefeita, que representa o poder executivo incorreria em Crime de Responsabilidade, passível de cassação pelos vereadores.

Os vereadores Alfredo Alexandrino e Soró, bem como a Vereadora Jurema de Matos  usaram a tribuna para demonstrarem suas indignações com a atitude da Prefeita em Exercício, ambos apostavam em uma postura diferente da vice-prefeita, mas a realidade foi ao contrario, ela demonstrou fragilidade, segundo avaliação dos vereadores ao não atender a convocação do Legislativo.