POR DISCRIMINAÇÃO E RACISMO, FUNCIONÁRIAS DE SUPERMERCADO REGISTRAM QUEIXA CONTRA CLIENTE

Três Lagoas/MS – Racismo

O racismo em Três Lagoas ainda existe, embora, muitas vítimas de preconceito e injúria não denuncie o fato às autoridades. (foto: Divulgação)
O racismo em Três Lagoas ainda existe, embora, muitas vítimas de preconceito e injúria não denuncie o fato às autoridades. (foto: Divulgação)

Mesmo havendo muitas campanhas de conscientização sobre igualdades e, a discriminação e o racismo se tornado crime perante a lei, em pleno século 21, muitas pessoas ainda sofrem o drama do preconceito.

Duas jovens registraram um boletim de ocorrências contra um cliente do supermercado onde trabalham, após terem sido gravemente ofendidas pela sua cor de pele e pelo estado de origem.

Consta no boletim de ocorrências que, R.R, proprietário de um restaurante conceituado em Três Lagoas, após fazer suas compras no referido supermercado, se dirigiu ao caixa e entregou um cheque como forma de pagamento. Como é de praxe em qualquer estabelecimento comercial, R.P.S (25), funcionária do caixa, foi realizar a consulta do cheque, momento em que o cliente teria se exaltado e passou a ofender a trabalhadora. Segundo o depoimento da vítima, ele pegou o cheque de volta e disse que não era ladrão, pagando a compra em dinheiro.

Em seguida, iniciou os insultos chamando a jovem de baiana e que, baiano deveria apanhar de berimbau e dormir na senzala. A segunda ofensa foi dirigida também a V.A.S.C (20) que estava empacotando as compras do empresário. Ele ainda teria dito que lugar de “preto” era limpando o chão. Após a demonstração de racismo, o homem saiu do mercado.

As jovens envergonhadas foram incentivadas pelas pessoas que presenciaram o fato a representar queixa contra ele. O boletim de ocorrências foi registrado na DEPAC (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) pelo crime de injúria. As jovens manifestaram desejo de representar judicialmente contra o autor. Fonte: Perfil News.