PMDB “EMPAREDA” SECRETÁRIO E AZAMBUJA FICA PRESSIONADO

Mochi e Rocha queriam saber se havia conspiração contra André Puccinelli

Mochi, como presidente regional do PMDB, cobrou posição de Miglioli e de Azambuja. (Foto: Álvaro Rezende / Correio do Estado / Arquivo)
Mochi, como presidente regional do PMDB, cobrou posição de Miglioli e de Azambuja. (Foto: Álvaro Rezende / Correio do Estado / Arquivo)

A cúpula do PMDB colocou o PSDB contra a parede por causa da série de denúncias que motivou ofensiva da Operação Lama Asfáltica e atingiu diretamente a gestão do partido à frente do Estado e pressionou o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) a adotar medidas para não prejudicar a relação de aliados políticos.

Num encontro tenso, o presidente regional da legenda e presidente da Assembleia Legislativa, deputado Junior Mochi, e o líder da bancada peemedebista na Casa, Eduardo Rocha, questionaram o atual titular da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), Ednei Marcelo Miglioli, se haveria algum tipo de conspiração dos tucanos contra o ex-governador André Puccinelli.

A reunião teria acontecido a pedido dos deputados, para confrontar o fato de que o PMDB, partido com maior representatividade no Legislativo, manteve-se na base na aliada e votou com o Governo inclusive nas pautas polêmicas, como a aprovação do aumento de impostos, enquanto a Seinfra estaria subsidiando o Ministério Público com acusações sobre obras e contratos firmados na era André. Fonte Correio do Estado.