NOVO SISTEMA PARA CIRURGIA COMEÇA A OPERAR NESTA SEMANA NO HOSPITAL DA VIDA

Unidade atende Dourados e outras 32 cidades e sistema de exames foi atualizado

Equipe faz teste em novo sistema de análise do Hospital da Vida
Equipe faz teste em novo sistema de análise do Hospital da Vida

O Hospital da Vida, em Dourados, começa a operar novos equipamentos para exames até a segunda-feira (14). Estão sendo instalados um arco cirúrgico, dois aparelhos de raio-x e um tomógrafo na unidade hospital, que atende até 33 municípios da região.

Os funcionários da unidade estão passando por treinamento com técnicos das empresas que produziram os equipamentos. A administração do hospital está sendo feita há 15 meses pela Fundação de Saúde de Dourados (Funsaud).

A aquisição desses novos equipamentos foi feita com base em emendas parlamentares dos deputados estaduais Zé Teixeira (DEM) e José Carlos Barbosa (PSB). “O arco cirúrgico, o raio-x fixo e o raio-x móvel devem ficar prontos e começarem a operar até amanhã (10). A expectativa é que todo o sistema de interligação de imagens e o tomógrafo estejam em pleno funcionamento até dia 14”, disse o gerente da Funsaud, Cassio Humberto Rocha.

A principal vantagem com esse novo sistema é que será possível analisar os exames de qualquer parte do hospital e o médico poderá ter acesso aos dados mesmo estando em casa. Esse processo de interligação, que ainda inclui a ultrassonografia, chama-se Pacs.

Toda a relação de novos equipamentos do Hospital da Vida compreende um tomógrafo de 16 canais, um raio-x fixo, um raio-x móvel, um arco cirúrgico, também chamado de intensificador de imagens – usado em cirurgias de ortopedia, cirurgia geral e neurocirurgia – e dez estações de trabalho para visualizações de imagem – computadores com programas para visualizar imagens de qualquer ponto do hospital.

Esse reestruturação na unidade era um dos projetos que a Funsaud determinou como prioritários ao assumir a administração do hospital. “Esses novos aparelhos vão substituir os equipamentos velhos, ultrapassados e quebrados, que dificultavam o diagnóstico e o tratamento e vão ajudar nas grandes cirurgias”, garantiu o secretário de Saúde de Dourados, Sebastião Nogueira. Fonte Correio do Estado.