MARATONISTA DE MS ESTÁ PRESTES A CONQUISTAR O “GREEN NUMBER” NA ÁFRICA DO SUL

Maratona da África do Sul

Maratonista de MS está prestes a conquistar o “Green Number” na África do Sul - Foto: Divulgação
Maratonista de MS está prestes a conquistar o “Green Number” na África do Sul – Foto: Divulgação

A atleta sul-mato-grossense Ana Márcia Borges Gomes está prestes a se tornar a primeira atleta sul-americana a conquistar o “Green Number”, honraria concedida a quem corre 10 vezes a Comrades Marathon, a famosa ultramaratona da África do Sul, de 89 quilômetros, que será realizada no dia 29 de maio.

“A largada é na cidade de Durban e a chegada na cidade de Pietermaritzburg e vice-versa. O percurso é muito difícil, sendo a maioria de subidas muito íngremes; uma paisagem muito linda, um povo muito acolhedor, o que sempre me deu ânimo, muita garra e força de vontade para completar a prova”, afirma a atleta que já está de malas prontas para mais esse grande desafio. Sua estreia nessa maratona foi em 16 de junho de 2006, na cidade de Durban. De lá para cá, foram 9 participações consecutivas e a 10ª será este ano. Se concluir, receberá o que considera um dos maiores prêmios de sua vida.

O percurso da Comrades nos anos “pares” é de 87,5 km e nos anos “ímpares” é de 89 km (neste ano, por exceção o percurso será de 87,5 km), informa Ana Márcia que já participou de 85 maratonas e ultramaratonas (provas acima de 42 km). Ao todo, foram 200 participações em corridas e medalhas conquistadas.

Ana Márcia Borges Gomes é oficial de justiça federal (Justiça Federal/MS), formada em direito pela UCDB/MS; Pós-graduação: especialista em direito constitucional pela Unisul-SC e é filiada ao Sindjufe/MS (Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário Federal e Ministério Público da União em Mato Grosso do Sul), que a apoia integralmente nas atividades esportivas em que participa, no Brasil e no mundo, levando e enaltecendo o nome do Estado e do País pelos 54 países em que já visitou.

A atleta conta que até a sua estreia na Comrades Marathon, ela havia participado apenas de competições de até 50 km. “Tudo começou com um convite do meu grande amigo residente em Brasília/DF – Wilson Bonfim, o qual me convidou para em junho/2006 irmos correr a Comrades; na ocasião do convite, era véspera da Corrida de São Silvestre/2005 e eu estava na cidade de São Paulo me concentrando para participar da São Silvestre. Como sempre gostei de superar desafios, aceitei imediatamente o convite do amigo e fomos estrear na Comrades no ano de 2006. Viajamos 05 (cinco) dias antes da prova para irmos nos acostumando com o fuso horário de diferença de seis horas do meu Estado”.

Antes da prova, lembra que ela e o Wilson brincavam muito, “falávamos que não queríamos correr juntos para não ver o outro passar mal e ter que desistir da prova para dar assistência, mas na verdade, corremos os 30 km iniciais juntos, depois cada um foi no seu ritmo. As medalhas da Comrades são conquistadas de acordo com o tempo do atleta, portanto, já conquistei 09 (nove) medalhas, sendo 06 de bronze e 03 de cobre (chamada Vic Clapton), sendo que o meu record pessoal é de 09h00m35s (nove horas e trinta e cinco segundos)”.

Por ser a Comrades uma prova muito difícil, o atleta que completa tal corrida por 10 vezes, é tido como herói pelo desafio conquistado, sendo premiado com o “Green Number”, que é a perpetuação do seu número de prova. Este é o prêmio máximo concedido pela Organização e almejado por milhares de corredores. Ao cruzar a linha de chegada pela 10ª vez, o atleta recebe a sua medalha e é conduzido a uma área reservada onde é feita a solenidade de entrega do Green Number, e um ex-campeão da prova entrega ao atleta essa condecoração, bordado em amarelo-ouro sobre um tecido na cor verde e ladeado de folhas de louro, o número passa a ser daquele atleta para a posteridade.

E, a partir do ano seguinte, o seu número é diferenciado, na cor verde, para que todos os atletas e o público saibam que se trata de um Green Number. “Neste ano de 2015, esta atleta Sul-mato-grossense irá tentar realizar o seu sonho de conquistar o Green Number e caso este se realize serei a primeira mulher Sul-americana a receber tal premiação”, explica.

Residente em Campo Grande, Ana Márcia é natural de Rio Verde de Mato Grosso. Ela pede o apoio, torcida, orações e pensamento positivo do povo Sul-mato-grossense para que possa representar bem o Mato Grosso Sul, que é seu orgulho. “Amo correr e mesmo não tendo patrocínio, tenho muito prazer e orgulho em representar o meu Estado, bem como, o meu País, nestas Maratonas e Ultramaratonas”afirma.

“Corro há aproximadamente 15 anos, tendo estreado em maratonas no ano de 2001 – Maratona de São Paulo. Além do Brasil, já participei de 42 maratonas/ultramaratonas e 02 meia-maratonas no exterior, no total de 19 países”.

“Além de praticar o atletismo, tenho também o objetivo de conhecer o mundo e procuro participar de Maratonas nos países que ainda não conheço. Faço City Tour de maneira econômica: correndo. Quando chego em determinado País, assim que acordo, vou correr para conhecer a cidade”.

“O bom é que sempre retorno ao Brasil em forma. Hoje já conheço 54 países, sou muito feliz, tenho uma família maravilhosa e muitos amigos que estão me apoiando e me incentivando a atingir o meu sonho que é a conquista do Green Number”. Fonte: Dourados News.