GIROTO PEDE AFASTAMENTO DO MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES

Operação Lama Asfáltica

Edson Giroto pediu afastamento do cargo de assessor especial do Ministério dos Transportes. Na manhã desta quinta-feira (09), agentes da Polícia Federal apreenderam um computador na residência de Giroto, em Campo Grande, no contexto da Operação “Lama Asfáltica” – que apura fraudes em licitações que causaram rombo de R$ 11 milhões nos cofres públicos -. 

A informação foi confirmada por meio de nota oficial do Ministério dos Transportes. Confira:

“O ministro dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues, teve conhecimento, nesta quinta-feira (9/7), da Operação “Lama Asfáltica” da Polícia Federal, Receita Federal e CGU em Campo Grande.  O assessor especial do Ministério dos Transportes, Edson Giroto, solicitou afastamento de suas funções no Ministério para tratar de assuntos particulares.”

Em nome de Giroto, o advogado Valeriano Fontoura ratificou que o pedido partiu do próprio Giroto e que o motivo foi para não haver constrangimento nem para o Ministério nem para as investigações pelo fato dele ocupar o cargo, “mesmo ele não sendo réu”, frisou Valeriano.

AÇÃO QUESTIONADA

O assessor especial do Ministério dos Transportes e ex-secretário de obras do Estado, Edson Giroto, questiona a ação da Polícia Federal durante cumprimento de mandado judicial para apreender computador em sua residência, na manhã desta quinta-feira (08), em Campo Grande.

Segundo o advogado de Giroto, Valeriano Fontoura, no momento em que os agentes federais chegaram à residência, havia apenas um funcionário, que não teve tempo nem de abrir a porta. “O funcionário disse que chegaram [agentes], falaram que eram da polícia e entraram [com ajuda de um chaveiro”, relatou Valeriano, ressaltando que ainda não teve acesso à cópia do mandado “nem o funcionário ficou com a cópia”, informou. Fonte Correio do Estado.