EXPULSÃO DE DELCÍDIO PODE PROVOCAR DEBANDADA NO PT

Reunião de lideranças discutiu situação no partido no Estado

Delcídio do Amaral está preso há mais de uma semana
Delcídio do Amaral está preso há mais de uma semana

A iminente expulsão de Delcídio Amaral do PT deve provocar debandada de lideranças do partido ligadas ao senador. Ontem (3), prefeitos petistas reuniram-se para avaliar o cenário político com a prisão de Delcídio, e uma das deliberações é reavaliar a permanência, ou não, nos quadros do PT para as eleições municipais de 2016. A legenda saiu enfraquecida da sucessão estadual de 2014, quando o senador foi derrotado, o que também acentuou ainda mais as divergências entre as correntes internas do partido.

Este quadro tem como agravante a crise em âmbito nacional por causa das denúncias de corrupção e baixos índices de popularidade da presidente Dilma Rousseff e, com Delcídio desfiliado, não há motivos para permanência dos prefeitos no PT. 

“No momento, permanecemos no partido, até por uma orientação do senador, mas no ano que vem faremos uma reavaliação”, afirma o prefeito de Jardim, Erney Cunha (PT). Ainda na reunião, que aconteceu na Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), os gestores manifestaram apoio “incondicional” à permanência de Delcídio no PT.

Erney, que é vice-presidente da entidade, tranquilizou aos demais quanto ao repasse de recursos pactuados com o senador, que pode ter o mandato cassado. Participaram do encontro os prefeitos de Deodápolis, Maria das Dores de Oliveira; Japorã,Vanderley Bispo de Oliveira; Eldorado, Marta Maria de Araujo; e Antônio João, Celso Luiz Lozano. Fonte Correio do Estado.