Empreiteira é multada em R$ 1,47 milhão por incêndio em 1.470 hectares de cana-de-açúcar

A PMA (Polícia Militar Ambiental) autuou uma empresa paulista empreiteira em R$ 1,47 milhão por incêndio em 1.470 hectares de cana-de-açúcar em Dourados, cidade a 229 quilômetros de Campo Grande.

Uma equipe realizava trabalhos de orientação nas propriedades rurais do município de Rio Brilhante, durante a fase informativa da operação Prolepse e, quando passava ontem (10), em uma área plantada de cana-de-açúcar percebeu um incêndio, que já havia consumido uma enorme região da lavoura que estava pronta para colheita.

Como ainda é possível realizar a queima controlada, desde que com a licença ambiental do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), a PMA localizou o responsável pela queima, que é gerente da empresa, uma empreiteira, com sede na cidade de Lins (SP). Segundo ele, a empresa cultiva a cana-de-açúcar, colhe e vende para uma usina sucroenergética do município de Rio Brilhante e afirmou não saber como se iniciou o fogo, mas que não possuía a licença para queima.

O incêndio ocorria, exatamente, somente na cana-de-açúcar que estava pronta para a colheita e já havia, inclusive, uma frente de colheita mecanizada no local. Assim que extinto o fogo, a equipe realizou levantamentos com uso de GPS e drone, medindo a área incendiada que perfez 1.470 hectares de lavoura queimada. A empresa empreiteira proprietária da cana-de-açúcar foi autuada administrativamente e foi multada em R$ 1.470.000,00. Fonte Midiamax.