Com Murilo à frente da articulação, Podemos quer atrair nomes de peso

Encabeçado pelo secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Sérgio Murilo, o Podemos continua em sua empreitada para se fortalecer para as próximas eleições.

Em um evento realizado em Campo Grande na noite de ontem, a sigla confirmou a filiação de Marcelo Iunes, prefeito de Corumbá, e de André Salineiro, ex-vereador e candidato a vice-prefeito por Campo Grande em 2020.

Outro importante nome que pode ser agregado à legenda é o da deputada federal Rose Modesto (PSDB), caso realmente se confirme o possível desembarque dela do PSDB.

Conforme já havia revelado no início deste ano ao Correio do Estado, Murilo disse que o desejo da legenda é fazer um deputado federal e três estaduais.

Um desses nomes pode ser o ex-vereador Salineiro, que preferiu abdicar da reeleição a vereador mesmo sendo um dos bem mais avaliados pela população e emplacou uma candidatura ao posto de vice-prefeito da Capital, compondo a chapa com o procurador de Justiça Sérgio Harfouche (Avante).

A empreitada não deu certo, já que a dupla foi derrotada pelo atual prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD), ainda no primeiro turno.

Posteriormente, a candidatura do seu companheiro de chapa, Harfouche, foi cassada pela Justiça Eleitoral, após o entendimento de que ele teria de abdicar da carreira de promotor para concorrer a um cargo eletivo. Nesse caso, a legislação eleitoral veta que agentes públicos se candidatem a um cargo eletivo para evitar o uso do posto politicamente.

Ao Correio do Estado, Salineiro afirmou que sua ida para o Podemos se deve à oportunidade de estar em uma legenda que tenta se fortalecer politicamente e, se esse fato se confirmar, alavancar uma candidatura dele a deputado federal ou estadual.

No entanto, o ex-vereador respondeu ao questionamento de forma pragmática, afirmando que no momento atual ele não pensa nas eleições de 2022.

“Ainda não penso no pleito do ano que vem, pois ele ainda está distante. Minha ida ao Podemos se deve ao fato de o partido ter representatividade e voz a nível nacional, já aqui no Estado possui um potencial incrível de crescimento. O partido está me dando independência de posicionamentos e ações, e isso é o mais importante”, explicou.

ÔNUS

Um ponto que pode ser desfavorável politicamente com a ida de Salineiro para a nova legenda é o fato de o Podemos ser aliado do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), tendo como seu principal dirigente estadual o secretário de Governo, Sérgio Murilo.

No entanto, o ex-vereador foi um crítico assíduo de Azambuja nos últimos cinco anos, ou seja, seu eleitorado pode analisar como incoerente a sua tomada de posição.

ARTICULAÇÃO

Sérgio Murilo estava licenciado da presidência estadual do Podemos desde que assumiu o cargo de secretário do governo de Reinaldo Azambuja. No entanto, a cerimônia de quinta-feira também marcou a volta dele ao cargo, indicando que as articulações serão decididas com peso do seu aval, mas agora de forma oficializada.

Nos bastidores, essa postura desagradou aos caciques tucanos, e o desgaste ficou ainda maior com a saída do prefeito de Corumbá, Marcelo Iunes, do PSDB e a ida dele para o partido de Murilo. A cidade fronteiriça é politicamente estratégica para qualquer partido, pois tem a 4ª maior população do Estado e, consequentemente, um dos maiores colégios eleitorais.

Apesar de esse descontentamento ser ventilado por alguns tucanos, tanto o secretário quanto o prefeito negaram esse impasse com o governo estadual e afirmaram que a saída já havia sido comunicada por Iunes.

Essa conjuntura pode indicar que ele tem o aval de Azambuja, pois, mesmo com essas alterações provocadas por ele no tabuleiro político local, Murilo permanece no governo do Estado.

Outra indicação que pode levar à interpretação da postura do governador é o fato de a deputada Rose Modesto ter como destino a legenda de Murilo e, assim, ser anunciado como vice em uma chapa encabeçada pelo pré-candidato ao Executivo estadual pelos tucanos e secretário de Infraestrutura, Eduardo Riedel (PSDB).

Já sobre as pretensões políticas do Podemos, Murilo afirmou que a ideia do partido é fortalecer as bancadas locais e que as pretensões nacionais ficam conforme as determinações do partido.

“Meu objetivo no Estado é tornar o Podemos cada vez mais forte e ter voz política para apoiar nossos aliados. Para isso, preciso aglutinar nomes importantes, como o de Iunes e Salineiro, que hoje integram oficialmente nossa legenda”, concluiu. Fonte: Correio do Estado.