BANCADA DE MS E GOVERNO PARAGUAIO SE UNEM PELA FERROVIA

Rota Bioceânica

Além de ficar de fora da megaferrovia, MS ainda pode ter trecho da malha desativada  (Foto: Valdenir Rezende/Arquivo)
Além de ficar de fora da megaferrovia, MS ainda pode ter trecho da malha desativada
(Foto: Valdenir Rezende/Arquivo)

Para evitar que Mato Grosso do Sul fique sem ferrovia e rodovia bioceânicas – ligando os oceanos Atlântico e Pacífico –, a bancada federal sul-mato-grossense e o secretário-executivo do Ministério dos Transportes, Edson Giroto, começaram a discutir com o governo do Paraguai a viabilização destes projetos. Ontem, aconteceu o primeiro encontro na embaixada do país vizinho, em Brasília.

A próxima etapa será uma reunião com o presidente do Paraguai, Horácio Cartes, em Assunção, para debater a viabilidade técnica destas propostas, enfatizou o deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT-MS), enfatizando que também é necessário viabilizar a construção da Ferroeste, que ligará Mato Grosso do Sul aos portos de Santos e Paranaguá, e também o Porto Murtinho.

O deputado federal Mandetta (DEM-MS) destacou que as obras de asfaltamento de rodovias no Paraguai para a Rota Bioceânica estão sendo feitas e “futuramente a proposta é viabilizar o corredor ferroviário ligando Mato Grosso do Sul ao Pacífico”. Ele criticou a situação de abandono da linha férrea entre Bauru e Corumbá, que na gestão da ALL “não foi recuperada, não recebeu grandes investimentos”. Fonte: Correio do Estado.