AZAMBUJA LIBERA LICENÇA PRÉVIA E OBRAS DA FÁBRICA DE MDF DEVEM INICIAR EM JUNHO EM ÁGUA CLARA

Água Clara/MS

A maquete da fábrica da Asperbras que terá capacidade de produção de 250 mil metros cúbicos por ano de placas de MDF, prevista para entrar em operação no primeiro semestre de 2017 (Foto: Reprodução)
A maquete da fábrica da Asperbras que terá capacidade de produção de 250 mil metros cúbicos por ano de placas de MDF, prevista para entrar em operação no primeiro semestre de 2017 (Foto: Reprodução)

Após o governador Reinaldo Azambuja entregar a LP (Licença Prévia) aos empresários Francisco e José Roberto Colnagri não haverá nenhum outro impedimento que afete o processo para iniciar a construção da fábrica da Asperbras no município de Água Clara. A solenidade será realizada na governadoria, na próxima sexta-feira (22), às 10 horas. As licenças ambientais também serão liberadas pelo governador na mesma solenidade.

Ao iniciar a construção do empreendimento, o município de Água Clara, sofrerá impactos positivos em decorrência do número de trabalhadores que serão contratados para atuar nas obras do complexo industrial.

Essas contratações vão afetar positivamente o município de Água Clara, principalmente no segmento de alimentação, hospedagem e o comércio em geral, inclusive na necessidade de construção de alojamentos para acomodação. Inclusive, a empresa já está no processo de construção de sete casas para abrigar o corpo técnico da empresa. No tocante aos impactos negativos será o aumento de aluguéis dos imóveis e na segurança pública, no setor de saúde que já é precário.

De acordo com Mário Gavinho e William Alves Jorge, Diretor Industrial e Gerente Administrativo da Asperbras, a movimentação no pico da obra será em torno de 800 a 850 trabalhadores, e deverá acontecer entre os meses de novembro de 2015 a agosto do próximo ano.

Porém, após a liberação da licença ambiental, o primeiro passo do cronograma é a terraplanagem da área. “Para agilizar o processo, a empresa que vai executar o serviço já está contratada e precisa apenas da autorização para iniciar o trabalho”, disse Gavinho.

A objetividade dos empreendedores é tanta que, os maquinários que serão utilizados para equipar a fábrica já foram comprados antecipadamente e estão prontos para serem transportados para o Brasil. São equipamentos de ponta, com tecnologia alemã, frisou Gavinho. Ele adiantou ainda que o projeto prevê a instalação da segunda e terceira linha de produção, que deverá acontecer após dois anos de iniciar a produção.

Quanto à questão de mão de obra especializada, segundo informou gerente Administrativo, há um diálogo muito avançado com o Senai, Senar para trazer instrutores de turmas preparatórias especializadas de mecatrônica, secretariado e administrativo. Existe uma preocupação por parte da administração do município em qualificar o maior número de pessoas da região para atender a demanda do complexo industrial, que vai absorver aproximadamente 140 vagas.

Em relação a logística, Gavinho disse que todo o transporte será rodoviário, mas a empresa estuda um modal ferroviário, para agilizar o transporte. De acordo com o gerente industrial, durante o processo de produção haverá movimentação de uma média de 70 carretas; 40 treminhões para transporte da matéria prima, o eucalipto e 30 para transportar a produção acabada até os centros consumidores.

O grupo controlador da Asperbras atua em vários segmentos do mercado, trabalhando com reflorestamento, criação de gado, construtora, revendedora de automóveis Volkswagen. Com sede em Penápolis, (SP), possui capital 100% nacional. No projeto da fábrica em Água Clara prevê investimentos na ordem de R$ 304 milhões, parte de capital próprios e de linha de créditos. Com informações do Perfil News.